A última atualização da blockchain Cardano — ocorrida no dia 1º de março de 2021 — trouxe suporte aos tão esperados tokens nativos personalizados. Pouco tempo depois do lançamento, vimos centenas de tokens sendo lançados rapidamente pela comunidade. Neste Infoblock, vamos explorar como os tokens nativos são representados na blockchain e o que significam todos esses termos.

O termo token é uma forma curta para “token de ativo”. Um ativo é um objeto que representa valor na blockchain. Na Cardano, um ativo é representado por um identificador único (ID), formando um tipo de “impressão digital” (fingerprint) composto de duas informações: o identificador da política de cunhagem (policy ID) e o nome do ativo (asset name).

Veja nosso token em cardanoscan.io

A cunhagem é um termo que remete ao processo utilizado para gravar moedas físicas, estampando um desenho em uma ou ambas as faces. Já no contexto digital, a política de cunhagem é um conjunto de regras que define quem e em quais circunstâncias pode criar (ou cunhar ou mintar) novos tokens ou destruir (queimar) tokens existentes. A política de cunhagem, portanto, determina a política monetária de um token. Por exemplo, a política monetária da ada é a de novas ada jamais serão cunhadas ou destruídas.

O ID da política de cunhagem é utilizado para associar permanentemente o ativo ao conjunto de regras para sua emissão ou destruição, o que impede que os emissores do token alterem a política após a criação ou associem o token a uma nova política.

Já o nome do ativo é uma propriedade imutável para identificar diferentes ativos dentro de uma mesma política de cunhagem. O nome não está associado a alguma regra ou código e pode ser composto de palavras comuns, como a EBScoin que a EveryBlock Studio criou recentemente. No entanto, se criarmos um outro token sob a mesma política de cunhagem e dermos o nome de EBSgovernance, eles serão ativos diferentes e não poderão ser trocados diretamente.

Apenas tokens com IDs de cunhagem e nomes de ativo iguais são fungíveis entre si. Ou seja, mesmo que possam existir dois ativos com o mesmo nome, eles pertencerão a políticas de cunhagem distintas e não serão fungíveis entre si. Por exemplo, se outro grupo criar uma outra EBScoin, elas terão uma política de cunhagem diferente e, portanto, serão ativos distintos. A existência de diferentes nomes de ativos sob uma mesma política de cunhagem é um recurso que pode ser utilizado para criar tokens não-fungíveis na Cardano, os famosos NFTs, mas isso é assunto para outro Infoblock.

Mas qual a vantagem de ter os tokens definidos dessa forma? Na Cardano, os tokens personalizados são nativos, o que significa que não há necessidade de utilizar contratos inteligentes para criar toda a lógica de transações, como é feito na rede Ethereum. Assim, não é preciso criar padrões como ERC-20 para definir como um ativo deve ser transacionado, e qualquer token nativo criado por um terceiro é automaticamente suportado pelas carteiras oficiais podendo ser enviado e recebido com mais facilidade.

As transações de tokens nativos são controladas pelas mesmas regras embarcadas na ada, o token principal do ecossistema Cardano, garantindo o mesmo nível de segurança para as transações ao mesmo tempo que remove a complexidade para criação de tokens. Isso diminui consideravelmente o potencial de erro por parte dos emissores do token e, principalmente, os custos da transação, já que não é preciso executar um contrato inteligente para enviar um ativo de uma carteira para outra.

Até a próxima época!

Você ainda está com dificuldades para entender como os tokens nativos são representados na blockchain Cardano? Fizemos esta história interativa para te ajudar a entender mais facilmente. Confira em tela cheia!

Todos os links desse Infoblock
Lincon Vidal

Lincon Vidal

Fundador e CEO da EveryBlock.Studio

Leave a Reply